TRT da 2ª Região (SP) publica edital. Saiba o que esperar do concurso


O Mapa da Prova preparou uma análise exclusiva do edital que traz novidades. Confira:

As suspeitas de que o edital para o concurso do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, em São Paulo, seria lançado até meados de dezembro se confirmaram. O TRT-2 lançou hoje (10/12) o Edital nº 01/2013, para selecionar 329 novos servidores que irão atuar nos cargos de Técnico e Analista Judiciário. A banca organizadora será a Fundação Carlos Chagas (FCC). As vagas estão distribuídas em 13 cargos específicos. Haverá também a formação de cadastro de reserva. As remunerações vão de R$ 4.635,03 a R$ 9.188,20.

Confira a análise do edital, feita pelo gestor de conteúdo do Mapa da Prova, Delchi Bruce:

Para ele, merecem destaque especial as 62 vagas para o cargo de Analista Judiciário Área Judiciária e as 190 vagas para Técnico Judiciário - Área Administrativa.

Veja abaixo a lista com todos os cargos.

Nível Superior:

  • Analista Judiciário Área Judiciária (62 - 4 PNE)
  • Analista Judiciário - Oficial de Justiça Avaliador Federal (10 - 1 PNE);
  • Analista Judiciário - área administrativa (9 - 1 PNE);
  • Analista Judiciário na área de Apoio Especializado, com especialidade em Tecnologia da Informação (11 - 1 PNE);
  • Medicina (CR);
  • Medicina do Trabalho (1);
  • Psicologia (1);
  • Enfermagem (2);
  • Arquivologia (1); e
  • Engenharia - Segurança do Trabalho (2).

Nível Médio:

  • Técnico Judiciário - Área Administrativa (190 - 10 PNE)
  • Técnico Judiciário com especialidade em Segurança (29 - 2 PNE);
  • Técnico Judiciário de Apoio Especializado com especialidade em Tecnologia da Informação (9 - 1 PNE);
  • Técnico Judiciário de Apoio Especializado em Enfermagem (2).

De acordo com Delchi, a grande novidade no conteúdo programático do concurso é que apenas as disciplinas de Português e Raciocínio Lógico são obrigatórias aos 13 cargos, enquanto Noções de Direito Constitucional e Noções de Direito Administrativo também são cobradas para as carreiras não jurídicas. A grande incongruência, no entanto, é que o cargo de Técnico Judiciário - Área Administrativa não prevê essas que são as matérias mais comuns em concursos de tribunais: Direito Constitucional e Direito Administrativo ficaram fora da prova para Técnico Judiciário Área Administrativa. “Pode ser que uma retificação deste edital seja iminente,” prevê Delchi. As disciplinas de Direito do Trabalho e Direito Processual do Trabalho são pedidas em apenas quatro dos cargos: Analista Judiciário - Área Judiciária, Analista Judiciário - Área Judiciária - Especialidade Oficial de Justiça - Avaliador Federal e Técnico Judiciário – Área Administrativa e Analista Judiciário - Área Administrativa, diferindo de outros concursos da FCC que incluíam Noções de Direito do Trabalho em outros cargos que não Engenharia e Medicina.

Na prova objetiva, composta por 60 questões incluindo tanto a parte de Conhecimentos Básicos como a de Conhecimentos Específicos, o número de questões em cada uma dessas partes varia de 20 a 40, com pesos também diferenciados para cada um dos cargos. Os cargos de Analista Judiciário - Área Judiciária e de Analista Judiciário - Área Judiciária - Especialidade Oficial de Justiça - Avaliador Federal possuem 40 questões de disciplinas específicas e peso 3. É compreensível e mesmo esperado que os dois principais cargos judiciários deem ênfase às disciplinas de Direito. Cada um desses dois cargos tem sete disciplinas de Direito dentro da prova de Conhecimentos Específicos. As incongruências do Técnico Judiciário Área Administrativa não se referem apenas a ausência de Direito Administrativo e Direito Constitucional, mas também ao peso 2 para as matérias de Conhecimentos Básicos, ou seja: Português e Raciocínio Lógico.

A prova para Técnico Judiciário Área Administrativa é composta por 60 questões sendo 30 de Conhecimentos Básicos e 30 de Específicos. As questões de Conhecimentos Básicos têm peso 2 enquanto as de Conhecimentos Específicos têm peso 1. Essa disposição de pesos não é tão incomum em provas para Técnico Judiciário Área Administrativa da FCC. O que é incomum, no entanto, é que esses conhecimentos com peso 2 não incluem as matérias Direito Administrativo e Direito Constitucional, exigindo dos candidatos a essas 190 vagas apenas conhecimentos em Português, Raciocínio Lógico, Noções de Direito do Trabalho, Noções de Direito Processual do Trabalho e Noções de Gestão Pública.

Para os cargos de Técnico Judiciário em Tecnologia da Informação, Enfermagem e Segurança não haverá prova discursiva. Já para os demais cargos, a prova discursiva se limitará a um simples texto dissertativo de 20 a 30 linhas, com validade de 100 pontos. O tema dessa dissertação é o famoso ‘tema de interesse geral’, que, na FCC, por vezes trouxe temas da atualidade como questões envolvendo a defesa dissertativa de textos sobre cultura e nacionalidade, além de outras questões relacionadas a realidade global e nacional. Vale lembrar que os candidatos ao cargo de Técnico Judiciário em Segurança enfrentarão provas de Prática de Direção Veicular e Prática de Aptidão Física.

Para concluir, Delchi atenta para o fato de que três mil candidatos ao cargo de Técnico Judiciário Área Administrativa terão suas redações corrigidas, enquanto serão corrigidas as redações de 1500 candidatos para o cargo de Analista Judiciário Área Judiciária. Esses números despertam a suspeita de que, além das vagas regulamentadas pelo edital, é bem provável que sejam convocados bem mais candidatos. No último concurso em realizado em 2008, pela FCC, estavam previstas apenas sete vagas que foram disputadas por 53.319 candidatos para o cargo Técnico Judiciário - Área Administrativa, destes foram nomeados 2.393 candidatos.

Edit - 17/12/2013: Conforme previsto na avaliação do Gestor de Conteúdo do Mapa da Prova, Delchi Bruce, dentre as retificações feitas no edital, está a inclusão de referências de Noções de Direito Constitucional e de Direito Administrativo ao conteúdo programático. Veja todas as retificações do edital AQUI.

Compartilhar