TCU: como foi a última prova de TI?


TCU fará concurso com vaga para Auditor de Controle Externo - Tecnologia da Informação. Salário de até R$ 15.322,60! Vai estudar?
O TCU está querendo lançar um novo concurso nos próximos meses. Minha expectativa é que sejam oferecidas vagas de Auditor Federal de Controle Externo, na área de Tecnologia da Informação e de Técnico Federal de Controle Externo, de nível médio. Até o momento, confirmaram 10 vagas para Analista na área de TI
Isso significa que temos um mês de espera, apreensão e estudo prévio! A Banca será, mais uma vez, o CESPE da Universidade de Brasília, que utiliza o sistema de assertivas certas e erradas e quando você erra um gabarito, perde uma questão que acertou. Muitos não gostam do CESPE, mas para nós professores o CESPE não é tão ruim. Na verdade, é a banca mais compreensível e estável que temos por aí. Quando um grande concurso seleciona essa banca fica mais fácil analisar as provas anteriores, como farei agora, e preparar os mapas de estudos.

Muito bem! O último concurso para Auditor de Controle Externo - Tecnologia da Informação, foi realizado em 2010, pelo CESPE, quando foram oferecidas 20 vagas. Foi formado por uma prova objetiva de 200 questões (do tipo certo X errado) e quatro discursivas, sendo duas questões sobre os conhecimentos básicos, uma sobre os conhecimentos específicos e uma peça técnica, também acerca dos específicos. Assim, tivemos 100 questões sobre as disciplinas de Conhecimento Básico, com peso 1, outras 100 sobre os Conhecimentos Específicos, com peso 2. Atente que foi necessário atingir 30% dos pontos em cada prova. Além disso, era possível atingir 80 pontos de discursivas, para um total de 380 pontos.
A nota de corte foi de 222.88, considerando-se os candidatos convocados em primeira chamada, dentro das vagas gerais. Ou seja: 58,6%. O primeiro colocado atingiu 63,3% dos pontos possíveis. Foram convocados todos os candidatos aprovados no período de três anos e isso deve se repetir no concurso desse ano!
Como disse, a prova de 2010 foram 200 questões objetivas, divididas entre disciplinas de Conhecimentos Básicos e Específicos. Foram elas:

  • Conhecimentos Básicos:
    • Língua Portuguesa;
    • Controle Externo;
    • Direito Administrativo;
    • Licitações e Contratos; e
    • Língua Inglesa.
  • Conhecimentos Específicos:
    • Engenharia de Software
    • Desenvolvimento de Sistemas
    • Infraestrutura de TI
    • Gestão e Governança de TI

Quanto aos conteúdos propriamente, acredito que saber o que caiu mais pode ajudar muito na hora de preparar os estudos; da mesma forma, saber o que já foi cobrado pode orientar o estudante que ainda está perdido. Assim, saber quais, e como, os conhecimentos e interpretações são exigidos pela banca pode ser o delimitador de águas na busca por uma das vagas!
Então, considere os conteúdos abaixo com bastante carinho na hora de preparar seu cronograma de estudos!

Primeira vista

A primeira impressão que se tem é que Desenvolvimento de Software e Engenharia de Software são as matérias que mais devem ser estudadas, pelo número de pontos que trazem. Em seguida, Língua Portuguesa, Licitações e Contratos e Controle Externo.
É importante não prescindir das disciplinas de Conhecimentos Básicos.

Muitos candidatos da área de TI tem amplo conhecimento de ITIL, PMBOK e XML, mas deixam de lado a sintaxe e a morfologia, ou não estudam a legislação como deveriam. É fundamental preparar uma agenda de estudos que inclua todas as disciplinas todas as semanas. Nesse sentido, o pessoal de TI é mais organizado e sistemático que aqueles das áreas de humanas, ao utilizar de uma lógica clara e bem ponderada ao avaliar suas dificuldades e próximos passos. Não deixe pra mais tarde: faça seu planejamento e avalie seu desempenho sempre!
Vamos às Matérias:

Língua Portuguesa

Das 30 questões de Língua Portuguesa, 10 foram sobre ‘Sintaxe’, fazendo deste tema o mais numeroso e importante da matéria. Essas 10 questões foram distribuídas nos mais diversos assuntos, passando por ‘Flexão Verbal e Nominal’, ‘Crase’, ‘Pontuação’ e ‘Concordância’, com duas questões cada, além de uma questão para ‘Sintaxe do Período’ e ‘Regência’. ‘Sintaxe’ é um dos assuntos que mais me lembra da sétima série, então, não muito saudoso! Eu teria que estudar bastante. E você?

Além de ‘Sintaxe’, tivemos nove questões de ‘Compreensão e Interpretação de Textos’, quatro de ‘Redação de Correspondência Oficial’, de acordo com o Manual de Redação da Presidência da República, três de ‘Semântica’, três de ‘Morfologia’ e uma de ‘Ortografia Oficial’.

Controle Externo

A parte de Controle Externo é o “conhecimento básico do Auditor Federal de Controle Externo”, apesar de não ser o foco do trabalho do pessoal de TI. Esses são os conhecimentos da atividade fim do TCU, fazendo com que sua presença seja necessária, apesar de não ser estudado normalmente por aqueles de TI. Vocês preferem javascript e SGDB, certo? Eu também preferiria!
Destas 20 questões, o tema de maior destaque foi o ‘Regimento Interno do TCU’, com 12! O ‘Regimento Interno do TCU’ foi adotado pela Resolução TCU nº 155, de 4 de dezembro de 2002 e deve ser leitura constante. Atente para o fato que o Regimento foi alterado pela Resolução TCU nº 246, 30 de novembro de 2011. Na hora de estudar, veja as questões desse tema, que estão, geralmente, nas provas de auditoria.
Esse é um temas mais difíceis de conseguir questões. Mas já separei 38 e estou com outras na mão, separando para colocar no Mapa na próxima semana. Essas tem que ser estudadas e revisadas com cuidado.
Além do ‘Regimento’, caíram quatro questões sobre a Declaração de Lima e as ‘Entidades Fiscalizadoras Superiores’, temas recorrentes nas provas de Auditoria. Esse é, também, um tema com altíssima probabilidade de cair, já que Lima estabelece as regras e princípios gerais de auditoria do setor público (ISSAI 1). Leia!
Por fim, caíram quatro questões de Direito Constitucional, tratando de ‘Fiscalização Contábil, Orçamentária e Financeira’, nos artigos 70 a 74 da CF88. E desse tema consegui 100 excelentes questões do CESPE!

Direito Administrativo

Direito Administrativo é uma disciplina curiosa nessa prova, já que cai como ela própria, como Licitações e Contratos, ainda nos conhecimentos básicos e como ‘Licitações e Contratos de TI’ na parte de Conhecimentos Específicos. Essa será, também, uma parte importantíssima do trabalho de um AFCE-TI, na função de preparar e fiscalizar contratos de TI.
Bem, a parte geral de Administrativo foi formada por 16 questões, distribuídas em sete assuntos, passando pela parte principialista, com três questões; pela ‘Organização administrativa da União’, com questões sobre ‘Autarquias’ e ‘Empresas Públicas’; ‘Serviços Públicos’, com questões sobre ‘Concessão’ e ‘Classificação’ de Serviços Públicos. Aqui caíram três questões sobre a Lei nº 8.112/90, cobrando conhecimentos sobre ‘Remoção e Redistribuição’, ‘Vencimento e Remuneração’ e ‘Processo Administrativo Disciplinar’. Ainda caíram duas questões de ‘Atos Administrativos’ e duas de ‘processo Administrativo’.
Nada de muito nebuloso ou sinistro para estudantes já experientes. Para os noobies, posso dizer que devem considerar a parte de Administrativo (incluindo Licitações e Contratos) com atenção, já que foram 41 questões de Conhecimentos Básicos. Só essas já são suficientes para a nota mínima!
Separei mais de 1.300 questões sobre estes temas todos. Sobre todos! Dá uma olhada no Mapa!

Licitações e Contratos

Como dito anteriormente, a parte de Licitações e Contratos consiste em um corte próprio do Direito Administrativo, pegando as seções e legislações específicas. Muito da Lei 8.666/93 é cobrado aqui.
Foram 14 questões sobre ‘Licitações’, 10 sobre ‘Contratos’ e uma sobre ‘Controle’, especificamente sobre contratos.
O tema mais abordado em ‘Licitações’ foi o de ‘Serviços Técnicos Especializados’ e ‘Pregão e Pregão Eletrônico’ com três questões cada. Além desses temas, outros quatro tiveram duas questões: ‘Dispensa e Inexibilidade’, ‘Obras e Serviços’, Modalidades da Lei 8.666’ e ‘Procedimento e Julgamento’. Esses são, de fato, as partes mais sensíveis da Lei, mas não deixe de conhecer as demais. ‘Dispensa’ me parece um tema na moda e deve ser incluído com redundância!
Na seção de ‘Contratos’, foram 10 questões, sendo que a parte geral, ou ‘Características Gerais’ e a parte de ‘Sanções Administrativas’ tiveram destaque, com três questões cada. Foram, ainda, duas questões de ‘Execução’ e uma de ‘Formalização’ e uma de ‘Inexecução e Rescisão’. As questões foram, em geral, simples, mas isso não preclui o estudo organizado e amplo do tema.
A questão solitária de ‘Controle’ foi sobre o controle de despesas provenientes dos contratos, pelo tribunal de contas, sem prejuízo do controle interno.

Língua Inglesa

A parte de Inglês foi bem tranquila! Foram nove questões e todos foram de ‘Compreensão de textos’, sem nem uma questão de ‘Gramática’. E ‘Interpretação’ costuma ser mais mais fácil. Mas não é poque você lê manuais técnicos e Song of Ice and Fire em inglês que não deve estudar um pouquinho de gramática.

As provas de Língua Inglesa do CESPE, quando trazem ‘Elementos Gramaticais’, tendem a favorecer ‘Termos Referentes’, ‘Phrasal Verbs’ e, principalmente ‘Conectivos’. Therefore, keep calm and study hard! =)
Fora isso, tente ler algumas notícias em Inglês todos os dias. Prefira a The Economist e a Time Magazine.
Muito bem! Vamos aos conhecimentos específicos ou, como título alternativo: a parte que você gosta!

Tecnologia da Informação

Foram 100 questões de TI, com peso 2. Isso significa que 200 dos 380 pontos possíveis no concurso estão aqui. Foram diversos os temas e assuntos abordados, o que me leva a dividir a análise por grupo. Antes de começarmos, no entanto, veja o gráfico geral de distribuição das questões por tema:

Desenvolvimento de Sistemas foi o Tema com maior número de questões. Foram 30, divididas em quatro assuntos: ‘Interoperabilidade de Sistemas’, com 14 questões, principalmente sobre ‘SOA e Webservices’, ‘SOAP’ e ‘XML’; 10 sobre ‘Java EE’, sendo ‘Linguagem Java’, ‘Arquitetura JEE’, ‘Padrões de Projetos Java’ e ‘JSF’ os temas abordados; três sobre ‘Desenvolvimento Web’, com ‘Hibernate’ e ‘html’; e três sobre ‘Segurança no Desenvolvimento’, todas de ‘Práticas de programação segura e revisão de código’.
Em seguida, com 21 questões, temos Engenharia de Software. Houve concentração das questões em ‘Processos de Desenvolvimento’, com sete questões, sendo elas sobre ‘Extreme Programming’, ‘Processo Unificado’ e ‘Desenvolvimento Adaptativo de Software’; ‘Engenharia de Usabilidade’, ‘Análise e Projetos Orientados a Objetos’ e ‘Métricas de Software’ tiveram quatro questões cada; ficando com as duas questões remanescentes a parte d ‘Engenharia de Requisitos’.
Como o TCU contratou uma fábrica de software em 2013, é provável que a relação entre desenvolvimento de sistemas e engenharia de software seja invertida no novo concurso, com maior ênfase no segundo tema – já que grande parte da programação passa a ser terceirizada. Além disso, o Tribunal adotou o desenvolvimento ágil e deve cobrar mais sobre isso no próximo edital. Uma boa dica é dar uma olhada no edital do último concurso para o Banco Central, que cobrou métodos, técnicas e ferramentas do mundo ágil.
Em terceiro lugar ficou a Segurança da Informação, com 19 questões. Os temas foram diversos e não houve concentração maior que três questões por tema. Os temas com três questões foram: ‘Tipos de Ataques a Redes’, ‘Sniffers e Análise de Tráfego’, ‘Mecanismos de Segurança’ e ‘ISO 27001’. Caíram, ainda as regras ISO 27002, 27005 e 15999. Não deixe de revisá-las e incluir IPS no seus estudos. O tema de prevenção de invasões está no auge desde as interceptações realizadas por agências estrangeiras.
A parte de Gestão de TI foi equilibrada e as 11 questões trataram dos quatro principais temas. PMBOK, ITIL e CMMI tiveram três questões cada, sobrando duas para COBIT. Destes temas, sempre presentes, consegui selecionar 549 questões, até momento.
Nesse ponto, o principal alerta vai para a atualização dos modelos PMBOK e COBIT. Ambos tiveram versões novas publicadas em 2012, e que já começaram a ser cobradas em provas do CESPE. Como o TCU sempre inova nessa área (foi o primeiro órgão a “pesar a mão” nesse assunto em concursos), certamente o edital vai exigir PMBOK 5 e COBIT 5. Concentre-se principalmente nas mudanças introduzidas nessas versões, pois é isso que o CESPE tem exigido até o momento.
O último dos grandes temas foi Banco de Dados, com sete questões. Três delas dedicadas à ‘Administração de Bancos de Dados Relacionais’. Os demais temas incluíram ‘Controle de Transações’, ‘Desempenho e Otimização de Consultas’, ‘Bancos de Dados Textuais’ e ‘SAD’.
Aqui vale um alerta importante: a área de controle externo do TCU tem feito cada vez mais trabalhados baseados em cruzamento de dados e uso de técnicas de data mining. Já se fala na criação de um Big Data reunindo todas as informações de governo, para facilitar a auditoria, e tive notícias de que o próximo concurso para a área de controle externo exigirá conhecimentos de bancos de dados dos auditores (assim como fez a CGU, em seu último concurso). Portanto, não me será surpresa se esses temas ganharem um peso maior na prova para a área de TI. Enquanto não sai o edital, estudem bem os conceitos básicos de datawarehousing, ETL, OLAP e data mining. Depois, com o edital na mão, não deixem de prestar muita atenção a qualquer novidade relacionada ao assunto que aparecer no conteúdo.
As doze últimas questões da prova de Tecnologia da Informação trataram de cinco temas distintos: ‘Alta Disponibilidade’, com quatro; ‘Governança de TI’, com três; ‘Redes’ e ‘Licitações e Contratos de TI’ com duas cada; e uminha para ‘Modelo de Acessibilidade do Governo Eletrônico’.
Atente para a Instrução Normativa MP/SLTI Nº 04, que dispõe sobre o processo de contratação de Soluções de Tecnologia da Informação, que costuma estar sempre presente. Mas também não deixe de olhar a jurisprudência e as orientações específicas do TCU sobre o tema, já que o concurso é deles. São uma ou duas questões que você pode garantir!

Agora que você viu as distribuições das questões por disciplina e por temas, não esqueça que considerar isso tudo no seu planejamento.
Planeje seus estudos para que consiga incluir todas as disciplinas em sua semana! Estude o edital e veja quais temas caíram mais. Isso não garante que voltarão a cair na mesma proporção, mas não se esperam surpresas no dia da prova.
Estude e resolva questões sempre!
Tive o cuidado de considerar todas essas proporções e os temas fundamentais na construção do Mapa que preparei especialmente para o concurso de Auditor Federal de Controle Externo - Tecnologia da Informação do TCU. As quase 7.000 questões foram classificadas por professores, em todas as matérias do último edital, para direcionar os estudos e ser uma ferramenta útil de verdade na sua aprovação.
Veja seu desempenho por disciplina, por tema ou subtema. Veja o que você precisa priorizar. Veja o que precisa estudar com força!
Qual é sua melhor e pior matéria????
Planeje. Estude. Revise. Passe!
Sucesso nos estudos!

Delchi Bruce é Bacharel em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (UnB) e Mestre em História das Relações Internacionais Contemporâneas pela University College of London. Foi funcionário da ONU, onde especializou-se em Análise de Conjuntura pela UCNY. É professor de Atualidades, comentarista e Gestor de Conteúdo do Mapa da Prova.

O que acharam? Faz sentido? Como você está estudando?
Gostou? Comenta aí e não deixe de compartilhar!


Receba macetes e dicas sobre o
concurso do TCU
e de outros Tribunais de Contas direto no seu e-mail!





Compartilhar