Conheça o TCDF e a rotina de uma Auditora de Controle Externo


A Auditora de Controle Externo do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF), Luiza Gonçalves Barcellos, é uma das aprovadas no concurso de 2011, ano em que estudava para o concurso do Tribunal de Contas da União (TCU). Ela considerava Auditoria e Controle suas únicas áreas de interesse e mais adequadas ao seu perfil, pois já trabalhava como Auditora de Controle Interno no Governo do Distrito Federal, onde esteve por quase dois anos.

Enquanto se preparava para as provas, Luiza explica como agia antes e depois que os editais eram lançados: “Existem dois momentos de preparação. Primeiro quando o edital ainda não está aberto, que é mais longo e demanda muita disciplina e paciência. O segundo, quando o edital abre e é uma loucura!
Sem edital aberto, Luiza estudava regularmente e pegava algumas aulas no cursinho. “O importante enquanto o edital não está aberto é manter a frequência de estudos de forma que você não fique cansado demais porque, afinal, assim que o edital abre, você já vai se cansar o suficiente”, alerta.
Por trabalhar no GDF, Luiza sempre ouvia falar sobre o TCDF, mas não achava que o edital do concurso realmente seria publicado: “Eu não achava que o concurso fosse sair, pois o Tribunal não é um órgão que faz concurso com tanta regularidade. O tempo entre a publicação do edital e a prova durou três meses e meio. Como eu tinha feito a prova do TCU e chorado tanto por não ter passado, fiz logo minha inscrição no TCDF”.

“O estudo em dupla foi essencial para minha aprovação, para uma motivar a outra, discutir e compartilhar. Sem a Cinthia, eu não teria passado. Revezávamos na tarefa de levantar a moral uma da outra quando o desânimo batia.”

Ao estudar com sua amiga Cinthia Thais Tomazi, também Auditora e sua colega de trabalho, Luiza se dedicou de segunda a sábado, seguindo um cronograma revisado semanalmente. Aos domingos, a dupla estudava questões discursivas ou deixava esse dia como reserva, caso não conseguisse cumprir as horas determinadas para toda a semana.
As duas se concentravam apenas nos exercícios e revisões, já que tinham uma base teórica consistente. “O estudo em dupla foi essencial para minha aprovação, para uma motivar a outra, discutir e compartilhar. Sem a Cinthia, eu não teria passado. Revezávamos na tarefa de levantar a moral uma da outra quando o desânimo batia”, revela.
Luiza tirou férias do trabalho três semanas antes da prova e relata: “Eu me dediquei exclusivamente aos estudos. Diversas vezes estudava caminhando pela casa para vencer o sono e o cansaço. Nessas horas, o que vale é se manter acordado e concentrado”.
Como forma de relaxar e também como parte da preparação, Luiza e Cinthia decidiram não estudar nos dois dias antes da prova. “Se não tínhamos aprendido até então, não íamos mais conseguir, então descansamos. Até chegamos a ir para um Spa para relaxar. Esses dias de descanso da mente foram essenciais, pois estávamos tão exaustas que, se eu não tivesse feito essa pausa, teria um colapso nervoso!”, brinca.

Atividade física foi fundamental

Apesar de trabalhar e estudar, Luiza explica que praticar atividade física foi um diferencial para ter melhor rendimento. “Eu trabalhava durante o dia, mas não abria mão de malhar. Então eu levantava todos os dias às 5h da manhã, malhava e ia trabalhar. Aproveitava momentos como o horário do almoço para ler alguma disciplina. Depois do trabalho, ia para a aula ou para o cursinho”.
“Sempre ouço concurseiros falarem que não têm tempo de malhar porque estudam para concurso, mas durante meu preparo foi fundamental no meu equilíbrio emocional.”

A Auditora recomenda atividade física para os estudantes. “Praticar esportes foi essencial e me dava preparo físico para aguentar a rotina pesada. Eu passava até uma hora na academia. Nunca fiquei sem trabalhar ou sem malhar. Sempre ouço concurseiros falarem que não têm tempo de malhar porque estudam para concurso, mas durante meu preparo foi fundamental no meu equilíbrio emocional. É essencial ter disciplina nos estudos e no esporte”, conclui.
Mesmo com o cansaço, Luiza argumenta que vale o esforço: “Lógico que cansei, mas assim que fui aprovada, terei o resto da vida para descansar e fazer o que quero. Matematicamente vale muito a pena, pois são três meses e meio estudando loucamente e depois o resto da vida fazendo o que quer. Tem coisa melhor?”
Dificuldades e superação nos estudos

Durante a preparação, Luiza considera importante dar atenção a todas as disciplinas, mas focou nos conhecimentos exigidos para o concurso do TCDF, tais como Economia, Direito, Contabilidade Pública, Administração Financeira e Orçamentária, Tecnologia da Informação e Obras.
Luiza, que também é farmacêutica, conta que sentiu maior dificuldade em Obras. “Quando comecei a ler na primeira aula sobre camadas de asfalto, em minha ignorância pensei: asfalto tem camada? Tanta coisa para se preocupar e esses engenheiros ficam pensando em camadas do asfalto?”, brinca.
Nesse momento, a farmacêutica encontrou apoio da amiga Cinthia e de métodos como mapas mentais. “Minha dupla de estudos me ajudou muito nesse momento tentando me explicar de uma forma mais clara. Eu fazia gráficos e mapas mentais para me ajudar a fixar aquelas maluquices!”, conta em tom de brincadeira.
Dicas práticas

Algumas dicas da Luiza Barcellos para quem se prepara para o próximo concurso do TCDF:
- Não desistir: “O edital é louco? É para astronautras? Se alguém tem que ir à lua, que seja você. Sei que é difícil e há muitas disciplinas, mas não desista! Se é difícil para você, é mais ainda para quem só fica sentado reclamando e não faz nada a respeito”.
- Acreditar: “Acredite em você e no seu potencial”
- Controlar as emoções: “Ter controle emocional é essencial na hora da prova. Saber que fez o seu melhor te dá segurança”.
- Confiar e esperar: “Tive frustrações com o TCU quando não passei em 2011 e achei que o mundo ia acabar. Engano meu. TCDF é muito melhor!”

Carreira de sucesso

Ao ser questionada se está realizada com a carreira de Auditora de Controle Externo, Luiza afirma que deseja se aposentar no TCDF: “Estou completamente realizada no TCDF, brinco que o órgão é o ‘ideal melhorado’. O trabalho é muito importante. Vemos resultado do que fazemos o tempo todo seja no rádio e na televisão. Nao poderia ser melhor!”
“Estou completamente realizada no TCDF, brinco que o órgão é o ‘ideal melhorado’. O trabalho é muito importante. Vemos resultado do que fazemos o tempo todo.”

Luiza deixa outro conselho para quem está estudando: “Ter disciplina. Tem horas que ficamos cansados, desanimados e sem vontade de estudar. Sabe o que você deve fazer nesse momento? Estudar mais ainda! Pense naquele japonês da biblioteca que nem bebe água porque, se beber, perde o tempo da água e de ir ao banheiro depois. Mas, se realmente seu corpo exigir, descanse. Diversas vezes eu dormia durante uma hora para recuperar a mente. Essa pausa era essencial para fazer meu cérebro funcionar”, adverte.
Por dentro do TCDF

Há um ano e meio, a Auditora de Controle Externo do Tribunal de Contas do DF, Luiza Barcellos, está no cargo após o concurso que foi lançado em 2011. Ela descreve como é trabalhar dentro do Tribunal, quais são seus desafios e deixa dicas para os candidatos ao concurso deste ano. “Na primeira semana, tivemos um curso de ambientação, conhecemos os demais aprovados e aprendemos como funcionam as coisas no Tribunal e os diferente trabalhos lá dentro”, explica.
Sobre as maiores dificuldades quando iniciou no cargo, ela afirma que foi “a adaptação à rotina do órgão, que requer um pouco de tempo e paciência”. Além disso, Luiza afirma que foi preciso “saber como proceder quando recebe determinado processo e buscar orientação e a colaboração dos mais experientes para a realização do trabalho”.
Para superar as dificuldades, a Auditora informa que tanto o chefe como os demais colegas de trabalho ajudaram muito nessa etapa e explicaram como fazer. Sobre seu dia a dia, Luiza acrescenta que seu trabalho também é desafiador: “Nossa rotina diária de trabalho é um desafio constante. Não pense que lá dentro é fácil. Temos metas, cumprimos prazos e os processos são sempre diferentes, o que é bom, pois estamos sempre aprendendo coisas novas”.
Ao perguntar sobre o que mais gosta no trabalho, Luiza responde que gosta de fazer um trabalho gratificante e cita seu colega Hugo com o mesmo cargo: “Trabalhamos na área de Acompanhamento, onde analisamos Representações, Denúncias e Licitações. É muito gratificante você ver resultado no trabalho que faz e ouvir notícias pelo rádio.”
Alguns benefícios importantes do TCDF são pontuados pela Auditora: “O trabalho desenvolvido é muito técnico e respeitado, não somos alvo de ‘politicagem’, a convivência com os demais servidores não poderia ser melhor e o ambiente é leve. Tenho o prazer de ir trabalhar e saber que meu trabalho faz diferença”.
Outros fatores que Luiza considera positivos são: “a possibilidade de crescimento rápido na carreira, o reconhecimento dos chefes e colegas do bom trabalho realizado e a satisfação de poder fazer algo efetivamente em prol da preservação do interesse público e minimizar possíveis prejuízos ao erário”.
A Auditora também se envolveu com diversas atividades no Tribunal, como inauguração do bicicletário, uma opção para quem quiser ir pedalando para o trabalho. Além disso, ela trabalhou para a Comissão da Coleta Seletiva e atualmente faz parte da Diretoria da Associação dos Auditores. “Acho que tudo que surge dou um jeito de poder participar. Gosto muito do ambiente e das pessoas do TCDF”, revela.
Luiza elogia o relacionamento com os colegas de trabalho e comenta sobre sua satisfação: “O relacionamento é excelente! A acolhida, quando iniciamos as atividades, foi com festa e muita expectativa. Percebemos que nossa presença era esperada com ansiedade. A primeira impressão foi de termos encontrado o nosso lugar! Só saio do TCDF aposentada. Não faço mais concursos e aposentei minhas canetas!”
Sobre o concurso do TCDF 2014

O Tribunal de Contas do DF publicou três editais para concurso público, com oferta de 69 vagas no total para cargos de Auditor de Controle Exerno, Analista de Administração Pública e Técnico de Controle Externo.
As vagas para 2014 são para nível médio e superior, com remuneração entre R$7,4 mil e R$ 12,4 mil. São 57 vagas para os cargos de nível superior, sendo oito destinadas a candidatos com deficiência. Para cargos de nível médio, são 12 vagas, sendo dois para candidatos com deficiência.
Os cargos de nível superior exigem diploma de curso de graduação reconhecido pelo MEC em qualquer área de formação. Para os cargos de nível médio, é exigido certificado de conclusão do Ensino Médio.
Os candidatos farão provas objetivas e discursivas. Para o cargo de Auditor, a realização das provas está prevista para 27 de abril de 2014, de Analista serão em 04 de maio, já as provas de Técnico de Administração Pública em 11 de maio.
O último concurso para Auditor de Controle Externo ocorreu em dezembro de 2011, quando foram ofertadas 29 vagas, mas 46 aprovados foram convocados.

Leia também:
Análise da última prova de Auditor de Controle Externo do TCDF Entrevista: Conheça o trabalho de um Auditor de Controle Externo do TCDF

Por: Giselli Vieira / Assessoria de Comunicação do Mapa da Prova
Compartilhar