O que é mais importante estudar para os concursos de TRTs?

Ao estudar para concursos específicos, é importante saber em quais disciplinas focar e como planejar melhor a rotina de estudos. No caso dos concursos para os Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs), elaboramos várias diretrizes, em um panorama geral, para orientar sobre as principais características dos concursos desses Tribunais e auxiliar na preparação para as provas.

Tribunais Regionais do Trabalho

Os Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs) compõem a Justiça do Trabalho no Brasil, em conjunto com as Varas do Trabalho e com o Tribunal Superior do Trabalho (TST). Em geral, os TRTs correspondem à segunda instância na tramitação de um processo trabalhista, apreciam recursos ordinários e agravos de petição. Porém abrangem competências provenientes de julgamentos, como casos de dissídios coletivos, ações rescisórias e mandados de segurança.

O Tribunal Superior do Trabalho (TST), com sede em Brasília-DF e jurisdição em todo o território nacional, é o órgão mais alto na hierarquia da Justiça do Trabalho. O TST é responsável por uniformizar a jurisprudência trabalhista brasileira.

O Brasil possui 24 Tribunais Regionais do Trabalho, distribuídos por regiões e com área de jurisdição normalmente correspondente aos limites territoriais de cada estado-membro. Os estados de Tocantins, Acre, Roraima e Amapá não possuem TRTs. Por outro lado, o estado de São Paulo possui dois Tribunais Regionais do Trabalho.

Concursos dos TRTs: provas, disciplinas e particularidades

Uma das mais valiosas informações para os candidatos de concursos públicos é a recorrência e regularidade dos temas usados pelas bancas em provas anteriores e semelhantes. Resolver questões é necessário, mas primeiro é preciso compreender a banca e seus temas preferidos. A Fundação Carlos Chagas (FCC) organizou 83,3% dos concursos de TRTs. Os demais 16,6% foram organizados pelo CESPE. Em nosso blog, disponibilizamos análises dessas bancas: FCC e CESPE.

No que se refere ao conteúdo programático propriamente, a bancas não costumam inovar neste tipo de certame. As disciplinas e tópicos pedidos são os tradicionais e de fácil acesso mesmo para quem não estuda há muito tempo. Os concurseiros de plantão poderão ajustar seu foco à medida em que os editais são publicados.

As matérias de conhecimentos básicos variam um pouco de acordo com o cargo, mas são, geralmente, apenas cinco:

  • Língua Portuguesa
  • Raciocínio Lógico-matemático
  • Noções de Direito Constitucional
  • Noções de Direito Administrativo
  • Regimento Interno do TRT

O peso dessas disciplinas costuma ser 1 (um), enquanto as de conhecimento específico têm pesos que variam de 2 (dois) a 3 (três). Não é necessário dizer que as disciplinas variam bastante de acordo com o cargo, mas para as provas de Analista Judiciário nas áreas Administrativa e Judiciária, normalmente as disciplinas são:

  • Analista Judiciário - Área Administrativa:
  • Analista Judiciário - Área Judiciária:

Por fim, planeje seus estudos para que consiga incluir todas as disciplinas em cada semana! Estude o edital e veja quais temas caíram mais. Isso não garante que voltarão a cair na mesma proporção, mas não se esperam surpresas no dia da prova. Estude e resolva questões sempre!

Mapas por área de TRT

O estudo por área é uma ferramenta importante nos estudos, pois as disciplinas, as questões e a abordagem das provas são próprias dos Tribunais Regionais do Trabalho. Dessa forma, as chances de acertar são maiores.

Em nosso site do Mapa da Prova, disponibilizamos mapas por área para concursos específicos de TRTs. Temos seis mapas da FCC e seis do CESPE. Veja abaixo em três passos como é fácil encontrar:

Compartilhar