Como fazer anotações que funcionam

Me interesso muito por métodos de estudo e, principalmente, por formas de aumentar a eficiência do tempo dedicado ao trabalho e aos estudos. É usual que um dos meus alunos me pergunte como fazer para estudar melhor. E, claro, sem haver uma resposta universalmente válida, digo: planeje bem seus estudos, durma bem, faça exercícios, resolva questões e anote melhor.

Hoje falarei sobre como fazer anotações melhores de aulas, palestras e no seu próprio estudo cotidiano. Assistir aula não é suficiente! É preciso absorver e conectar o conhecido oferecido pelo professor. Existem diversos métodos, técnicas e ferramentas, mas sou especialmente favorável ao Método de Cornell.

O Método

O Método Cornell foi desenvolvido pelo professor Dr. Walter Pauk, da Universidade de Cornell. Trata-se de um sistema usado para tomar notas em aulas ou palestras e para revisar e absorver o conteúdo em tela. Ao usar o Método Cornell as notas ficam mais organizadas, mas o mais importante é que o estudante participa ativamente da produção do conteúdo e, assim, eleva consideravelmente a qualidade dos estudos, sua eficiência e sua disposição em estudar.
E é um Método até simples. Pegue uma folha de papel e faça três áreas, conforme a imagem abaixo:

É possível perceber três áreas, que chamei de A, B e C. Vamos usar as três para conseguirmos fazer desse estudo mais proveitoso e útil. Afinal, o objetivo pe passar no concurso, não é? Não é?
Antes de começarmos a fazer as anotações, marque a data e as informações da aula no topo da página. Nome ou número da aula, disciplina, nome do professor, etc. Seja cuidadoso para poder achar tudo que precisar. Depois de um tempo é difícil achar aqueeeeela anotação daqueeeeela aula… então, não vacile!

Vamos começar?

A área A é a primeira a ser usada. Aqui você anotará as informações que o professor escreveu no quadro, ou projetou em seus slides. Toda vez que achar algo importante, anote. Busque sinais de que a informação será fundamental no futuro. Geralmente o professor repete ou deixa claro quais são as informações cruciais. Tipo: “O artigo 37 da carta constitucional expressa os princípios da Administração Pública, quais sejam:…” Opa, é fácil: L-I-M-P-E! Anota isso que vai ser útil!!!
Mas, preste atenção:
Não é necessário fazer sentenças completas, nem ter certeza que a oração é explicativa ou restritiva. =P

Use tópicos, os chamados bullet points, abreviações, símbolos, desenhos, não importa. Pegue o que é importante. Só!

Se o assunto mudar, pule um espaço, faça uma marca que deixa claro que as coisas mudaram, ou mude de página e comece uma nova. Não misture, para não confundir.
Anotou tudo? Muito bem! Agora vamos usar a parte B.
Ela serve para a síntese de todos os pontos-chaves na parte A. Aqui você deve destacar o que de mais importante anotou anteriormente. Vai ter que filtrar o que há de fundamental na parte anterior e, com isso, está reforçando - e simplificando - as informações anteriores. Estará consolidando conhecimento e fazendo com que ele esteja mais lapidado para o futuro.
Se vierem dúvidas na sua cabeça, anote-as aqui. Dúvidas, perguntas, destaque informações incompletas. Use o cérebro para aprimorar o que foi anotado.
Por fim, temos a parte C, que a parte de reorganizar o conhecimento. O método original, do Dr. Pauk diz para você tentar explicar tudo o que anotou anteriormente, como se estivesse ensinando esse conteúdo a alguém. Para tanto, escreva frases curtas, claras e diretas que resumam o conteúdo da página. Consolide o conteúdo!
Se estiver estudando Raciocínio Lógico, Matemática, Estatística, Economia ou afins, você pode destacar fórmulas, equações ou gráficos.

Depois de Anotar

Depois de anotar tudo, sintetizar e reorganizar o conteúdo, está na hora de fazer valer da organização das páginas. Vamos usar as anotações para estudar.
Primeiro, e mais importante, essas anotações servem para suas revisões periódicas. O Que??? Você não revisa periodicamente?

A Revisão

Claro que o período de Revisão depende de como você planejou seus estudos, mas gosto - insisto - que meus estudantes revisem o conteúdo estudado na semana aos domingos. Digo para pegarem suas notas e passarem por todas elas, marcando as dúvidas, corrigindo erros, reorganizando o material.

Domingo é dia de Faustão. Então, use esse tempo para revisar o que estudou na semana.

Mas, se você tem pouco tempo para estudar e boa parte do seu estudo propriamente dito acontece no final de semana, não se preocupe. Faça sua revisão no metrô, no ônibus, na fila do supermercado… ou seja: não importa, desde que haja revisão periódica.

Revise, para não esquecer!

Então, anote bem, sintetize, reorganize, revise e se esforce bastante, porque para passar, vale a pena!!
Se achou que esse método pode te ajudar, olhe o modelo que fiz
Talvez você não se identifique com o Método de Cornell tanto quanto eu. Não se preocupe, ainda vou apresentar e comentar bastante sobre outros métodos que podem acabar te agradando mais do que este. Afinal, este tema muito me fascina!
Sucesso!
delchi bruce
Gostou? Compartilhe aí!


Delchi Bruce é Bacharel em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (UnB) e Mestre em História das Relações Internacionais Contemporâneas pela University College of London. Foi funcionário da ONU, onde especializou-se em Análise de Conjuntura pela UCNY. É professor de Atualidades, comentarista e Gestor de Conteúdo do Mapa da Prova.

Receba macetes e dicas sobre
Como Estudar
e como render mais!









Compartilhar