A Polícia Legislativa no concurso da Câmara - dicas de um servidor


Muitos sonham em trabalhar na Câmara dos Deputados. É fundamental conhecer o órgão antes de tomar posse. Trataremos nesta matéria sobre uma visão interna da Câmara dos Deputados e como é o trabalho de um Agente de Polícia Legislativa, que foi aprovado no último concurso de 2007.

A Câmara dos Deputados, assim como o Senado, é órgão responsável pelo Poder Legislativo no Brasil, formando o Congresso Nacional. Composta por representantes de todos os Estados da federação e do Distrito Federal, a Câmara exerce atividades com a discussão e aprovação de propostas e leis sobre as diversas áreas: política, econômica, social, educação, saúde, transporte e habitação, assim como avalia os Poderes da União e seu correto emprego dos recursos arrecadados com o pagamento de tributos.
O Congresso Nacional trabalha com períodos chamados “legislatura”, que compreende quatro anos para que o Congresso exerça suas atribuições previstas na Constituição Federal. Cada legislatura é dividida em quatro sessões legislativas por ano. Cada sessão legislativa ordinária vai de 2 de fevereiro a 17 de julho, reiniciada em 1º de agosto e encerrada em 22 de dezembro.

Sobre o concurso da Câmara dos Deputados 2014

Veja a nossa análise do edital do concurso da Câmara dos Deputados. Acesse o post que já fizemos aqui no blog.
O concurso da Câmara dos Deputados, um dos órgãos públicos com as melhores remunerações do país, oferece, neste ano, 113 vagas para nível médio e superior. Do total das vagas, 5 são para candidatos com deficiência. As provas serão aplicadas pelo Centro de Seleção e Promoções de Eventos da Universidade de Brasilia (CESPE/UnB).
A remuneração é de R$ 25.105,39 para nível supeior e cargos de analista legislativo com atribuições de consultor de orçamento e fiscalização financeira, e de consultor legislativo.

Para nível médio, a remuneração é de R$ 12.286,61 no cargo de técnico legislativo na função de agente de polícia legislativa.
Os candidatos serão selecionados com as seguintes etapas: prova objetiva, discursiva e de aptidão física para técnico administrativo, e avaliação de títulos para os cargos de analista legislativo. As etapas das provas ocorrerão em Brasília.
No dia 13 de abril serão realizadas as provas objetivas de analista legislativo, com 3h30 de duração. Já as provas objetivas e discursivas para técnico legislativo, com 5h de duração, serão aplicadas no dia 20 de abril, mesma data das provas discursivas para analista legislativo.
A partir do dia 3 de abril, os candidatos poderão consultar os locais e horários das provas, publicados no Diário Oficial da União. O concurso da Câmara dos Deputados terá validade de dois anos e poderá ser prorrogado, uma vez, pelo mesmo período.
Para mais informações, conferir o edital do concurso e as posteriores retificações.
O último concurso da Câmara com vaga para Técnico Legislativo – Polícia Legislativa foi em 2007, quando foram ofertadas 12 vagas, mas nomeados 93 aprovados. Nosso site está oferecendo o mapa para o cargo de Técnico Legislativo – função: Polícia Legislativa. Acesse.

Conheça a trajetória para a aprovação de um Policial Legislativo
Renan Ornelas Mota foi o 9º aprovado para o cargo de Agente de Polícia Legislativa no concurso da Câmara dos Deputados de 2007, quando foram ofertadas 12 vagas, mas 93 aprovados foram nomeados. Formado em Ciências Biológicas pela Universidade de Brasília (UnB) e pós-graduado em Direito Público pelo Instituto Processus de Brasília, atualmente Renan é policial legislativo na Câmara dos Deputados e está cursando o sexto semestre de Direito na Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas (Facitec).
No ano do concurso, Renan cursava o sexto semestre de Ciências Biológicas na UnB, mas refletiu que iria se formar e não sabia se daria aulas, pois isso não atenderia suas expectativas financeiras e pessoais. Surgiu nele o desejo de ser servidor público, pensando em ter estabilidade e melhor remuneração.
Quando foram reabertas as inscrições para o concurso da Câmara dos Deputados de 2007, Renan se inscreveu para o cargo de Agente de Polícia Legislativa, incentivado pela ex-namorada que já estudava e tinha sido aprovada em concursos.
Naquele ano, Renan passou a ter mais tempo livre, pois a UnB entrava em greve e ele havia concluído o período de estágio. Assim, começou a estudar sozinho todos os dias na Biblioteca da Unieuro, em Águas Claras. Foram três meses e meio de estudo por meio de apostilas e PDF’s retirados de sites. “Na época a UnB entrou em greve, então eu viajei, retornei e comecei a estudar na biblioteca das 8h às 12h, depois das 14h às 20h, às vezes até 22h”, explica.

Também passou perto da nomeação para outros concursos em que foi aprovado antes, como o concurso da Terracap (12º colocado, porém somente 10 candidatos foram convocados), da Caesb (aprovado, mas não ficou dentro do número de vagas) e TRF 2005 (sem aprovação).
Apesar disso, ao enxergar o melhor momento para focar nos estudos, Renan estava motivado, tinha tempo livre, morava com os pais e conseguiu se preparar com disciplina em sua rotina de estudos. Ele conta que não tinha noção sobre a carreira de Polícia Legislativa, mas começou a se interessar mais depois que passou a estudar e conheceu a função.
Dicas para os concurseiros

Como estratégia de estudos, Renan adotou algumas ações que ajudaram. “Minha estratégia era estudar com o edital em mãos. Via todas as matérias previstas no edital e cumpria o cronograma. Depois fazia bastante exercícios da banca, no caso a FCC”, relata.
Renan admite que os fatores determinantes para sua aprovação foram: ter disciplina, estar bem psicologicamente e fisicamente, e ter tempo livre. Outra situação importante é que ele já tinha o hábito de estudar na UnB e também a ex-namorada orientou nos estudos. “O estudo é como atividade física, quanto mais se pratica, melhor será o desempenho, aprendizagem e absorção”, argumenta.
O policial legislativo pondera que cada concurso tem uma particularidade. Mas, para o concurso específico para o mesmo em que foi aprovado, ele considera relevante dar mais atenção para Língua Portuguesa, por ter muito peso na prova, além das matérias específicas. Segundo Renan, também será um diferencial se preparar para a prova discursiva. “É importante saber escrever bem, organizar e expor ideias de forma objetiva e concisa”, explica.
Outras dicas que ele considera importantes são:

Fazer bastante exercícos da própria banca para criar o hábito com os tipos de questões; Ter disciplina com relação ao conteúdo;
Ficar atento às matérias de peso da prova; Estudar cumprindo todo o conteúdo do edital;
Estar bem no dia da prova.


Porém, se o candidato não tiver estudado todo o conteúdo da prova, Renan aconselha que praticar mais exercícios pode ajudar. “Principalmente se o candidato não tiver lido ou aprendido tudo que o edital vai cobrar na prova, é bom fazer muitos exercícios”, justifica.

*Por dentro da Câmara


Após dois anos da aprovação, Renan foi nomeado e conta que sua primeira impressão foi superior às expectativas. Primeiro, a turma dele passou por um curso de ambientação para se familiarizar com o ambiente. “Foi dado um treinamento sobre defesa pessoal, tiro e armamento, legislação, técnicas de abordagem e tudo relacionado a outros temas importantes da área”, explica.
A turma do policial legislativo foi a primeira convocada, quando foram chamados apenas doze candidatos, dentro do número ofertado inicialmente. Mas depois foram convocados os demais, totalizando 93 nomeados.
Renan relata que é muito bom trabalhar na Câmara dos Deputados: “A Casa dá um suporte para quem deseja estudar e crescer profissionalmente, tudo dentro do seu setor. É bom porque estimula. Isso me surpreendeu!”
Outra dica dele é sobre o valor da persistência. “Quero deixar claro, para todos que estão estudando, que meu conselho é que continuem estudando, pois vale muito a pena. Foi muito bom eu ter sido aprovado e estar na Câmara. É um lugar excelente”, conclui.
Por: Giselli Vieira / Assessoria de Comunicação do Mapa da Prova
Compartilhar